o NADA

é um estúdio criativo — híbrido de ateliê de criação multimídia, produtora cultural & editora independente, localizado em Botucatu/SP desde 2012. criado em 2006, inicialmente com foco em produção audiovisual, pelo poeta, editor & artista-etc. Baga Defente, ao longo dos anos o estúdio incorporou artes gráficas, escrita criativa, produção cultural e projetos editoriais à sua lista de serviços.

em 2018 o estúdio realiza seus primeiros projetos via ProAC (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo): Oficine-se (ações de estímulo ao audiovisual) e Akangatu — a Palavra feita Forma (ações de estímulo à leitura), esse último duas vezes finalista no Prêmio IPL – Retratos da Leitura, do Instituto Pró-Livro.

esses projetos se desdobram em duas ações independentes: Cineclube Oficine-se, com 45 exibições gratuitas seguidas por bate papo em uma sala de cinema cedida pela Secretaria de Cultura de Botucatu; e o Sarau Akangatu, com sete edições realizadas em cafés, bares e praças, e outras sete em ambiente online.

em 2019, com 13 títulos artesanais publicados desde 2015, é publicado o 1º livro do NADA com ISBN e impressão em gráfica: Serpentário, de Sérgio Santa Rosa. no início de 2020 vem o título seguinte, Ao Mar, romance de Ana Vieira Pereira, cujos eventos de lançamentos (incluindo em Portugal, terra natal da autora), foram cancelados pelo início da pandemia.

Zani_retrato_site

em 2021, o NADA deixa de ser um “estúdio de um homem só” com a chegada de Alex Zani, criador & editor-chefe do portal Fazia Poesia, que se junta a Baga Defente como editor, produtor editorial, designer, etc. — ou seja, mais um faz-tudo ao estúdio.

Assim, a área de publicações e serviços editoriais torna-se a principal área de atuação do estúdio, tendo como primeiros frutos os livros O algoritmo do cavalo, de Darko Magalhães, e Pra estancar essa sangria, primeiro livro não-artesanal de Baga Defente, que marca a estreia de Zani como editor em mídia impressa.